quarta-feira, 13 de junho de 2012

Recomendações para a produção de Estruturas de concreto armado em edifícios





SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ..............................................................................................................1
2. A PRODUÇÃO DA ESTRUTURA DE EDIFÍCIOS COM CONCRETO ARMADO ......20
2.1 PRODUÇÃO DAS FÔRMAS E ESCORAMENTO.................................................21
2.1.1 Conceituação ..................................................................................................21
2.1.2 Propriedades ou Requisitos de Desempenho ................................................24
2.1.3 O Custo da Fôrma no Conjunto do Edifício.....................................................25
2.1.4 Elementos Constituintes de um Sistema de Fôrmas.......................................26
2.1.5 Principais Materiais Utilizados para a Produção de Fôrmas ...........................27
2.1.6 O Conceito Estrutural das Fôrmas ..................................................................33
2.1.7 Estudo do SISTEMA CONVENCIONAL de fôrmas de MADEIRA...................34
2.1.7.1 Características da fôrma de laje................................................................35
2.1.7.2 Características da fôrma de viga...............................................................37
2.1.7.3 Características da fôrma do pilar...............................................................38
2.1.8 Estudo de SISTEMAS de FÔRMAS RACIONALIZADAS................................39
2.1.8.1 Objetivos da racionalização do sistema de fôrmas....................................39
2.1.8.2 Recomendações de projeto do edifício para aumentar a racionalização ..39
2.1.8.3 Ações de racionalização do sistema de fôrmas.........................................39
2.1.8.4 Parâmetros para escolha ou projeto do sistema de fôrmas ......................47
2.1.8.5 Considerações sobre a execução das fôrmas...........................................47
2.1.8.6 Outros tipos de fôrma................................................................................47
2.2 A MONTAGEM DA ARMADURA ..........................................................................50
2.2.1 Introdução .......................................................................................................50
2.2.2 A Compra do Aço ............................................................................................52
2.2.3 A organização do Aço no Canteiro..................................................................54
2.2.4 Corte da Armadura..........................................................................................56
2.2.5 Preparo da Armadura......................................................................................61
2.2.6 Montagem da Armadura..................................................................................64
2.3 ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ESTRUTURA DE C. A..........................72
2.3.1 Recebimento do Sistema de Fôrmas ..............................................................72
2.3.2 Montagem das Fôrmas dos Pilares.................................................................72
2.3.3 Controle de Recebimento da Montagem dos Pilares ......................................77
2.3.4 Montagem de Fôrmas de Vigas e Lajes..........................................................77
2.3.5 Controle de Recebimento da Fôrma de Vigas e Lajes ....................................81
2.3.6 Procedimentos para a Concretagem dos Pilares ............................................81
2.3.7 Verificação da Concretagem do Pilar..............................................................82
2.3.8 Colocação das Armaduras nas Fôrmas de Vigas e Lajes...............................83
2.3.9 Verificações para liberação da Armadura de Vigas e Lajes ............................83
2.3.10 Procedimentos para a Concretagem das Vigas e Lajes................................84
2.3.11 Procedimentos Recomendados para Lançamento do Concreto ...................85
2.3.12 Procedimentos para Desforma......................................................................86
3. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS...........................................................................87


1 INTRODUÇÃO
Considerando-se as estruturas dos edifícios comumente construídos, pode-se propor
uma classificação fundamentada na sua concepção estrutural, na intensidade de seu
emprego ou mesmo a partir dos materiais que constituem a estrutura, dentre outras.

- classificação quanto à concepção estrutural

Quanto à concepção estrutural, ou seja, quanto à forma de transmissão dos esforços,
as estruturas podem ser classificadas em:

· reticulada (figuras 1.1 e 1.2)
· elementos planos (figuras 1.3 a 1.5)
· outras - cascas; espaciais; pneumáticas; boxes, etc...(figuras 1.7 a 1.9)

As estruturas reticuladas são aquelas em que a transmissão dos esforços ocorre
através de elementos isolados tais como lajes, pilares e vigas ou pórticos. Nas
estruturas planas a transmissão de esforços faz-se através de um plano de
carregamentos, como‚ o caso dos edifícios constituídos por paredes maciças de
concreto armado ou mesmo de alvenaria estrutural.


- classificação quanto á intensidade de emprego

Quanto à freqüência com que são empregadas, as estruturas podem ser classificadas
em:

· tradicionais; e
· não tradicionais.

As estruturas tradicionais são consideradas como aquelas mais empregadas em um
certo local. É o caso, por exemplo, dos edifícios de médio e grande porte, construídos
com estrutura de concreto armado moldado no local e dos pequenos edifícios (um e
dois pavimentos) construídos com alvenaria resistente.

Pode-se considerar os não tradicionais como sendo aqueles de uso menos freqüente,
tais como os edifícios com estrutura de madeira, de aço, de alvenaria estrutural
(armada ou não armada) e os de concreto pró-moldados.

- classificação quanto ao processo de produção dos elementos resistentes

Quanto ao local de produção, as estruturas podem ter seus elementos classificados em:

· moldados no local;
· pré-fabricados (em usina);

· pré-moldados (em canteiro)

Os elementos moldados no local são aqueles produzidos já no seu lugar definitivo no
conjunto da estrutura. Os pré-fabricados são moldados numa usina e transportados até
o canteiro, enquanto que os pré-moldados são fabricados no canteiro; porém, longe do
local em que serão instalados.

- classificação quanto ao processo de produção das estruturas

Quanto ao processo de produção, as estruturas podem ser classificadas em:

· por montagem - acoplamento mecânico (figuras 1.10 a 1.12)
· por moldagem no local (figuras 1.13 e 1.14)
· por moldagem e montagem no local (figura 1.15)

(...)

Páginas: 87
Acesse a apostila completa AQUI





2 comentários:

cival markes sousa Nascimento disse...

gostei das apostilas

Camila Lima disse...

A página da apostila está dando erro, não quer abrir, vocês poderiam atualizar?
Gostei bastante dos conteúdos de vocês e gostaria de baixar este também.
Obrigada!

Postar um comentário

Comentem!